sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Cortes e Recortes: Discussão Preliminar

Este é um texto dirigido especificamente para qualquer eventual não-cristão e/ou qualquer um que não esteja familiarizado com a discussão recente em algumas congregações cristãs evangélicas sobre um modo diferente de namoro entre casais heterossexuais (sempre se referirá a casais heterossexuais neste assunto. Aposto que vocês sabem as posições da Igreja Cristã sobre esse assunto). Este modo diferente é convencionalmente chamado de "corte". Estou ciente que para um não-cristão a idéia de um namoro em moldes mais tradicionais, mesmo de maneira não tão radical quanto a proposta pela "corte", no qual, por exemplo, não há sexo entre o casal, é extremamente diferente.

Porém, a "corte" é diferente mesmo deste modelo tradicional de namoro cristão que basicamente relegava a delimitação dos "limites" ao próprio casal, ambos cônscios da moral e ética cristã sobre o assunto. A "corte" propõe, por exemplo, a restrição do contato físico do casal (há casos que nem pegar na mão é permitido) entre outras proibições. Voltaremos a isto em outro momento.

Portanto, este é um texto direcionado. Fique avisado.

O que é a "corte"?
É um sistema de relacionamento sexual pré-nupcial que procura ser uma resposta às freqüentes situações problemáticas que muitos casais cristãos expõem em aconselhamento pastoral. Estas dificuldades dizem respeito aos limites eróticos do namoro cristão.
Suas justificativas e bases teológicas/metodológicas/práticas podem ser encontrados nos livros Eu Disse Adeus ao Namoro, Sua Perfeita Fidelidade e Romance à Maneira de Deus. Existem outros livros, porém é destes três que acredito poder se rastrear toda a discussão sobre a "corte".
Contextualizando as obras:

Eu Disse Adeus ao Namoro é um livro escrito por um Joshua Harris, jovem cristão norte-americano (na época) solteiro. Dos três livros, é o único que procura delinear com maior precisão e clareza as bases teológicas da "corte". O autor usa suas experiências pessoais anteriores para, juntamente com a opinião de autores diversos, mostrar ao leitor que a "corte" possui uma série de vantagens sobre o namoro cristão tradicional. Destaca dentre estas a fuga da lascívia, da promiscuidade e dos demais pecados sexuais aos quais o casal cristão está sujeito nesta situação. Embora conte com passagens autobiográficas, grande parte da argumentação vai ao encontro à Bíblia e uma exegese desta.

Romance à Maneira de Deus é a narração da história de Eric e Leslie Ludy, de como se conheceram e como chegaram ao matrimônio. Da história, vale a pena frisar neste primeiro momento o sonho que Eric alega ter tido, no qual teria lhe sido revelado o rosto de Leslie e o fato de que ela seria sua esposa - antes de tê-la conhecido.

Sua Perfeita Fidelidade é um livro, escrito pelo casal Ludy, que tece comentários bíblicos sobre a história narrada em Romance à Maneira de Deus e acrescenta novos insights e faz uma ou duas correções/esclarecimentos sobre o livro anterior, dentre os quais considero o mais importante o reconhecimento do casal Ludy que a história narrada e vivida por eles não pode ser importada para a vida de todos os cristãos da face da Terra.

Embora os três livros façam apologia à "corte" (mesmo que somente Harris utilize o termo, a biografia do casal Ludy é tomada como exemplo por ele) uma leitura atenta verifica que esta defesa é sutil e por vezes tímida. Talvez por cautela os autores se resguardem de serem defensores extremados de suas posições teológicas. De qualquer modo, é na boca e discurso dos pastores das congregações que encontramos a defesa apaixonada da "corte", muitas vezes, devidamente remodelada para os padrões locais.

É preferencialmente desta segunda acepção da "corte", a local, que nos preocuparemos no artigo a seguir. Porém, como esta depende daquela em todos os seus pressupostos, vimos a necessidade de esclarecer alguns pontos.

2 comentários:

Lucas Louback disse...

estou ancioso por ler o próximo post e ver a opinião do autor...

Aline Ramos disse...

Bom, Rob, também estou ansiosa pra saber mais sobre a sua opinião. Confesso que estou ficando um pouco confusa! hehe..

A Paz!

(Lucas, que legal ver você por aqui tbm!! :D )